A Venezuela enviará oxigênio a Manaus, onde pacientes estão morrendo por causa da falta do produto em meio à elevação da demanda causada pelo aumento de casos de Covid-19 na capital do Amazonas, disse em sua conta no Twitter o chanceler venezuelano, Jorge Arreaza.


Nicolás Maduro (Foto: Presidência da República da Venezuela)

"Por instruções do presidente Nicolás Maduro, conversamos com o governador do Estado do Amazonas, Brasil, Wilson Lima para colocar imediatamente à sua disposição o oxigênio necessário para atender à contingência sanitária em Manaus. Solidariedade latino-americana antes de tudo!", escreveu o chanceler venezuelano em seu perfil na rede social na noite de quinta-feira.


Jorge Arreaza, chanceler da Venezuela (Foto: REUTERS/Manaure Quintero)

O chanceler também fez um apelo para que diferenças ideológicas não sejam expressadas nas relações internacionais: "Em política, a tolerância ideológica é fundamental. Ideologizar as relações internacionais é um erro".

Maduro confirma decisão de enviar oxigênio a Manaus, mas Bolsonaro ainda não aceitou

País sul-americano, apesar das dificuldades impostas pelas sanções dos Estados Unidos, vai enviar oxigênio para salvar vidas brasileiras no estado do Amazonas. Mas o governo Bolsonaro, que considera a Venezuela um país inimigo, ainda não aceitou.

Funcionário chega com cilindro de oxigênio ao hospital Getúlio Vargas, em Manaus 14/01/2021 REUTERS/Bruno KellyFoto: Reuters

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, confirmou que está decidido a ajudar o Brasil a superar o problema do colapso na saúde em Manaus, no Amazonas. Por meio do ministro das Relações Exteriores, Jorge Arreaza, o país ofereceu oxigênio necessário para minimizar a dificuldade dos hospitais.

Pela logística mais fácil, a Venezuela é o país com opção mais viável para enviar o oxigênio ao Brasil. 

As empresas que produzem os cilindros aumentaram a capacidade de fabricação ao limite, mas a demanda seria três vezes maior ao que Manaus conta atualmente. Uma das soluções seria apelar à fornecedora White Martins, que já tem parceria com o governo do Amazonas e está trabalhando em ritmo acelerado para atender à demanda. 
Também na quinta, o deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM) disse que o governo brasileiro pediu ajuda ao governo dos Estados Unidos para que disponibilizasse um avião militar que permita o transporte de oxigênio para Manaus.

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), admitiu na quinta que o Estado está enfrentando seu pior momento na pandemia de Covid-19, com dificuldades especialmente para a aquisição de oxigênio, em meio a uma nova disparada na contagem de casos e óbitos em decorrência da doença.

Segundo a Secretaria de Saúde amazonense, o Estado foi comunicado na noite de quarta-feira, pela empresa responsável, do colapso do plano logístico para algumas entregas de oxigênio, o que causaria a interrupção da programação por "algumas horas".

O governo do presidente Jair Bolsonaro não reconhece Maduro como presidente legítimo da Venezuela e o Ministério das Relações Exteriores, comandado por Ernesto Araújo, tem atuado como um dos líderes na condenação internacional ao atual governo venezuelano.

O apoio da Venezuela a Manaus, que sofre com a falta de oxigênio em hospitais para tratar casos graves da Covid-19, surpreendeu muitos. Completamente submisso à estratégia dos Estados Unidos, o Brasil é hostil com o país vizinho, com Bolsonaro reconhecendo o ilegítimo Guaidó como presidente e até desenhando cenários de guerra.

Qual será a atitude do Governo Brasileiro em detrimento à tão generosa e humanitária atitude, pelo honroso e significante exemplo diplomático dado a tantas hostilidades que o Governo Venezuelano tem sofrido pelo Governo Brasileiro? 

O Governo Venezuelano dá um grande exemplo de maturidade política, diplomática e humanitária, mesmo estando sob demasiado bloqueio econômico americano, mas demonstra que o seu pouco também pode ser dividido em solidariedade ao terrível momento enfrentado pelo seus vizinhos brasileiros.

Vamos agora esperar pela reação do Governo Brasileiro...

FONTES: BRASIL247, G1,Terra,O Globo,Diário do Centro do Mundo,Uol,Tribuna do Brasil,Tribuna do DF,Grupo M4